ADOPTE UMA COLMEIA





O Projecto Adopte-Uma-Colmeia tem por objectivo partilhar as emoções que sentimos quando cuidamos de uma colmeia e podemos provar o mel produzido pelas suas abelhas. Vê-la crescer, acompanhar os seus desafios, aprender com a sua resiliência, ajudá-la a ultrapassar as dificuldades e deliciarmo-nos com os seus produtos, tudo isto nos preenche e fascina. Adopte uma colmeia na nossa quinta, nós cuidamos dela no dia-a-dia e partilhámos tudo consigo!


De momento estamos a oferecer para adopção colmeias instaladas em socalcos sobre o rio Douro. Ao adoptar uma colmeia:
- Recebe um certificado de adopção da sua colmeia;
- A sua colmeia recebe uma placa com o seu nome;
- Pode participar num dos nossos Dias Abertos e visitar a sua colmeia ou acompanhar outras actividades da quinta;
- Está a contribuir para o desenvolvimento da apicultura biológica;
- Recebe na próxima época um frasco de mel produzido pela sua colmeia!

Para obter mais informações ou aderir, por favor contacte-nos pelo email biogoods@biogoods.pt.

Consulte também a nossa lista de FAQs.






A abelha europeia (apis melífera) é uma abelha social (vive em colónia) é originária da Europa e Ásia tendo sido posteriormente introduzidas na América. Este animalzinho extraordinário produz mel, cera, própolis, geleia real, e  apitoxina (veneno da picada) que são utilizados num vasto conjunto de áreas, desde a alimentação, medicina, cosmética e industria (e.g., mobiliário). No entanto, a principal contribuição das abelhas no nosso ecossistema é a polinização, sendo responsável pela polinização de 80% da alimentação humana.

Actualmente, a globalização, a utilização de pesticidas, exploração desregrada dos recursos naturais e as monoculturas estão a colocar as abelhas sob enorme stress. De facto as abelhas estão ameaçadas por um vasto número de doenças e pragas. Nós acreditamos que a utilização sustentada dos recursos e o modo de produção biológica são o caminho lógico para evitar o seu desaparecimento e por consequência da espécie humana tal como a conhecemos.

Sem comentários :

Enviar um comentário